Garbage – “Tell Me Where It Hurts”

quinta-feira, maio 31st, 2007


Clipe de “Tell Me Where It Hurts”

O Garbage vai lançar mundialmente, em julho, sua primeira coletânea de sucessos: Absolute Garbage. Além da edição normal, serão disponibilizadas outras duas – uma com DVD e outra de remixes.

No DVD, a banda apresenta 15 videoclipes, incluindo “Only Happy When It Rains”, “Stupid Girl”, “Milk”, “Push It” e a inédita “Tell Me Where It Hurts”. Além dos clipes, o disco traz quase uma hora de cenas de bastidores, imagens inéditas, apresentações ao vivo e entrevistas de toda a carreira da banda.

Vale lembrar que a vocalista da banda (Shirley Manson) está preparando seu primeiro álbum solo que conta com colaborações de Jack White (The White Stripes) e Billy Corgan (Smashing Pumpkins).

No trem com os amigos do Gorillaz

quinta-feira, maio 31st, 2007

Trem do Gorillaz
Trem do Gorillaz

Monkey: Journey to the West é uma ópera circense baseada em uma famosa lenda chinesa. Com música e visual criados por Damon Albarn e Jamie Hewlett, os nomes por trás da banda virtual Gorillaz, a solução encontrada pela Virgin para promover o espetáculo foi grafitar os personagens “concebidos” nos vagões ingleses. E não é que ficou bonito?

via Cool Hunting

O bom e velho, velho rock

quarta-feira, maio 30th, 2007

The Zimmers* não é a mais antiga banda de rock de todos os tempos, mas certamente a mais velha – e bem humorada. Seus integrantes têm em torno de 80, 90 anos, e alguns são centenários.

No MySpace dos vovôs ingleses encontra-se o seguinte texto: “Alguma vez você já pensou que os membros do Take That estão muito velhos para serem chamados de uma boyband? Acha que os Rolling Stones deveriam se aposentar? Se a sua resposta foi SIM para as duas perguntas, então você vai amar isso… Seja bem-vindo ao incrível mundo dos THE ZIMMERS”.


The Zimmers interpretando o clássico “My Generation”

O líder do grupo é Alf, um senhor de 90 anos de idade. É no mínimo engraçado ouví-lo cantar: “I hope I die before I get old” (“Espero morrer antes de envelhecer”), no cover de “My Generation”, do The Who. Gravaram a canção, no lendário estúdio Abbey Road – sim, o mesmo onde os Beatles registraram grandes sucessos.

Agora é deixar as dores nas costas, a catarata e os problemas de hérnia de lado para seguir com a turnê européia que começa em outubro, passando pela França, Espanha e Alemanha.

* zimmer é como os ingleses chamam os andadores para idosos.

Beth Ditto devorando a maçã no paraíso

quarta-feira, maio 30th, 2007

Beth Ditto na Capa da NMEBeth Ditto posa nua para a capa da NME.

Contrariando os padrões da moda e beleza, a vocalista do The Gossip é feminista, lésbica e não tem vergonha de seu peso. Ano passado, foi eleita pela própria revista como umas das personalidades mais “cool” do pedaço e, aparentemente, continua colhendo os frutos.

Em entrevista para a revista, Ditto afirma que não quer ser Britney Spears (sorte a dela!) e odeia o termo “acima do peso” que as pessoas utilizam quando querem se referir às gordinhas.

Para quem já assistiu a banda ao vivo, sabe que Ditto é pura diversão e loucura. A cantora costuma fazer strip-teases no palco, ficando apenas de calcinha e sutiã, para depois se jogar no público – como aconteceu no SXSW desse ano (vídeo).

Beth Ditto Photoshoot NME
Fotos da sessão da NME

Em junho, a cantora sairá na Vogue inglesa, fazendo parte de uma matéria sobre mulheres no rock. Além de Beth, a revista traz Cat Power, Kate Jackson (do Long Blondes), Lily Allen, Regina Spektor e M.I.A..A sessão de fotos da NME pode ser conferida aqui.

Shuffle – “Whatsthatyougot?”

terça-feira, maio 29th, 2007


Clipe de “Whatsthatyougot?”

A esquisitice sonora do Shuffle é uma explosão da elegência do jazz, agressividade do punk, urgência do rock, versatilidade do hip-hop e eletrônica – sendo difícil definir o que são esses mutantes do pop.

A faixa “Whatsthatyougot?”, lançada num EP do grupo, apresenta as influências articuladas numa cacofonia sonora que funciona. O Shuffle não tem nenhum disco no currículo e nem previsão de lançar um (ainda).

10 anos sem Jeff Buckley

terça-feira, maio 29th, 2007

Jeff Buckley

Há dez anos, calava-se uma das vozes que posso dizer que guiou minha adolescência. Jeff Buckley (1966-1997), assim como seu pai – o cantor de folk rock Tim Buckley, teve carreira breve, mas brilhante.

Seu disco de estreia Grace (1994) encanta no vocal suave, arranjos de guitarra transformados em serenatas e letras que são confissões tiradas de um diário. Até hoje, o trabalho é lembrado como um dos melhores álbuns dos anos 90 e fonte de inspiração para vários artistas, como: Coldplay, Muse e Rufus Wainwright.

No ano seguinte, o álbum ganhou na França o renomado “Gran Prix International Du Disque – Academie Charles Cros”, prêmio concedido por um júri de profissionais da indústria fonográfica, jornalistas e o presidente do Ministério de Cultura da França. Um prêmio para grandes artistas, entregue anteriormente a figuras como Edith Piaf, Joan Baez, Joni Mitchell, Bob Dylan, Leonard Cohen e Bruce Springsteen.


Clipe de “Grace”

Talvez nunca apareça outro disco como Grace, um cover digno para “Hallelujah” de Leonard Cohen e canção como “Lover, You Should’ve Come Over”. Esta última, com seu orgão fúnebre dando sequência a uma série de confissões para uma amante numa letra corajosa de Buckley: “and much too blind to see the damage he’s done and sometimes a man must awake to find that really, he has no-one” (“E muito cego para ver os erros que cometeu e há momentos em que um homem precisa acordar para perceber que ele não tem ninguém”).


Clipe de “Last Goodbye”


Clipe de “So Real”

Quando estava em fase de finalização de seu segundo registro de estúdio (Sketches for my Sweetheart the Drunker) a tragédia chegaria à família Buckley. Animado com o andamento do trabalho, o artista foi ao Mud Island Harbor nadar no Rio Mississippi e, poucos minutos depois, desapareceu. Quatro dias após o incidente, seu corpo foi encontrado. Até hoje, com seu breve legado, Jeff conquista novos fãs e influência novas gerações. Morreu cedo, aos 30 anos, e não há voz que iguale à tristeza de suas confissões. Em uma palavra: único.

Review: Björk – ‘Volta’

segunda-feira, maio 28th, 2007

Björk - VoltaVolta é recheado de experimentalismo entre momentos de sussurros e berros. O novo álbum – o sexto de músicas inéditas desde a carreira solo iniciada em 1992 – apresenta um som tribal em algumas composições, como é o exemplo da faixa que abre o disco (“Earth Intruders”) e “Hope”, com batidas que ganham formas do grupo Konono N.° 1.
A islandensa conta com a participação do produtor Timbaland – responsável pelos recentes sucessos de Justin Timberlake e Nelly Furtado.

Grandes passagens do álbum ficam por conta do vocal melancólico de Antony Hegarty (em “The Dull Flame of Desire” e “My Juvenile”) e no batidão com loops a la Timbaland de “Innocence”. O engajamento político de Volta aparece em “Declare Independence”, sobre homens-bomba e declarações de independência, sendo uma das faixas de maior intensidade.

Volta é o disco mais acessível de Björk. Na busca de ser pop e experimental, perde o foco quando a cantora busca referências em trabalhos anteriores. Mas nem por isso, perde a qualidade de ser exótico.

Dica de download: “Innocence” (), “Declare Independence” () e “Vertebrae by Vertebrae” ().

Nokia + Bonde do Rolê

domingo, maio 27th, 2007


Comercial do Nokia 5700


A mistura rock/funk de “Solta o Frango”, dos curitibanos do Bonde do Rolê, foi selecionada para ser o hit da nova campanha publicitária da Nokia.

O comercial de abrangência mundial (já vem sendo veiculado na Europa) mostra jovens dançando e brincando com o Nokia 5700 (com um alto falante imbutido), divertindo-se em suas casas entre amigos. Enquanto isso toca o refrão “ro-lê, ro-lê, ro-lê, solta o frango e vem com a gente”. Hit mundial à vista.

Kanye West – “Can´t Tell Me Nothing”

sábado, maio 26th, 2007


Clipe de “Can´t Tell Me Nothing”

O rapper Kanye West está dando os toques finais ao seu novo álbum The Graduation. Não a como negar que a expectativa é grande, após ter dois discos bem recebidos pelo público e crítica.

O sucessor de Late Registration conta com a colaboração de Chris Martin (do Coldplay), John Mayer, Common e a volta da produção genial de Jon Brion – responsável por discos de Aimee Mann, Rufus Wainwright e Fiona Apple (com rumores de que a cantora possa aparecer no álbum).

O primeiro vídeo para a divulgação do trabalho é “Can´t Tell Me Nothing” (download aqui), dirigido por Hype Williams. The Graduation tem lançamento marcado para setembro.

Trailer: Control

sexta-feira, maio 25th, 2007

Anton Corbijn traz o universo do grupo Joy Division em seu filme Control. Conhecido pelo seu trabalho de fotógrafo, Corbijn também é lembrado pela direção de clipes do U2, Depeche Mode e Coldplay.


Trailer de Control

Segundo o próprio diretor, Control “é muito mais que uma simples biografia em celulóide. Contém música, mas não é um musical (…) é um filme de verdade e não uma biografia do rock”, disse a AFP.

O inglês Sam Riley faz o papel de Ian Curtis nas telas. O ator já havia encarnado um cantor do mundo pós-punk em A Festa Nunca Termina. Outro nome de peso é o da talentosa Samantha Morton – que pelo trailer mostra bastante intensidade na pele de Deborah Curtis.
Control ainda não tem data definida de estréia.

via stereogum