Entrevista: My Gold Mask

quarta-feira, março 31st, 2010

O My Gold Mask, duo de Chicago para ficar de olho, é formado por Gretta Rochelle (voz / percussão) e Jack Armondo (guitarra). Com alguns canções circulando pela Internet e dois EPs lançados, produzem um rock de arte com traços sombrios e influenciado pela cena alternativa dos anos 90.

My Gold Mask

Essa semana, o clipe de “Violet Eyes” (assista) estreia na programação da MTV Brasil, no MTV Lab teco apple, e os músicos tiraram um tempo para falar com o blog:

O que vocês andam fazendo?

Gretta Rochelle: Estamos num processo de escrever novas músicas para o nosso set. Em julho, ficaremos 3 dias no Canadá e vamos tocar no Sled Island Music.

Jack Armondo: Antes disso, temos algumas apresentações em Nova Iorque. Vamos abrir os shows do The New Pornographers.

Como vocês se conhecerem e começaram a fazer música juntos?

Gretta Rochelle: Há aproximadamente uns oito anos, Jack e eu fazemos música juntos. Nos conhecemos numa festa, no terraço de um prédio, e imediatamente começamos a conversar sobre o assunto.

Jack Armondo: Nós tocávamos em bandas antes, mas aquela havia sido a primeira vez que decidimos apenas nós dois trabalhar em algo.

Quem fica responsável pelas melodias e letras?

Gretta Rochelle: Ambos.

Jack Armondo: É um processo 50/50 quando escrevemos. Ambos contribuem com todos os aspectos das canções.

Lembram quando foi a primeira vez que tiveram contato com o palco?

Gretta Rochelle: Eu estava na quarta série. Era um recital de violino e eu estava emocionada. Quando fomos para o palco, tive um ataque e as notas da minha partitura ficaram todas embaralhadas. Não sabia se poderia fazer aquilo de novo, mas assim que começamos a tocar juntos, as coisas fizeram mais sentido. Foi dessa maneira, que me tornei uma viciada em estar em frente ao público.

Penso nos meus antigos recitais e hoje. São sensações bem parecidas. Sempre fico nervosa antes de começar a tocar, mas logo passa e me sinto confortável. É uma sensação maravilhosa.

Jack Armondo: Em um show do David Copperfield durante uma viagem para Las Vegas com minha família. Ele estava fazendo uma mágica comigo no palco e começou a fazer piadas. Eu não estava nervoso, apenas animado. No dia seguinte, uma mulher na piscina disse: “Vejam! É o menino do show de mágica da noite passada”. Isso é muito excitante quando você está na quinta série.

My Gold Mask

E atualmente? Como foi a experiência de tocar, esse ano, num festival tão importante como o SXSW?

Jack Armondo: Foi incrível. Aquilo é uma grande bola de energia. Muitos shows em apenas um lugar, nunca vi algo desse tipo. Definitivamente, um bom lugar para conhecer pessoas novas também.

Gretta Rochelle: SXSW foi uma experiência maravilhosa. Agora, sabemos o que temos que fazer diferente e o que manter em nossos próximos shows lá. Sei que parece loucura, mas eu não estava preparada para a intensidade do lugar. Era como uma turnê, mas 100 vezes mais intensa.

E a sensação de saber que o vídeo de “Violet Eyes” vai estrear no programa MTV Lab teco apple da MTV Brasil?

Jack Armondo: Muito emocionante!

Gretta Rochelle: É uma sensação incrível. Fico feliz de que o Brasil aceita o nosso trabalho.

Por sinal, a música tem um clima extremamente sombrio em sua melodia e letra. De onde ela veio?

Gretta Rochelle: Eu tenho uma lado negro. Amo criar ambientes e escrever sobre esses lugares nas minhas canções. Estou feliz que tenha sido o caso de “Violet Eyes”.

Jack Armondo: Para mim, a canção é quase como uma antiga amante que te deixa louco, mas você ainda tem uma parte sua que pertece à ela.

Já começaram a pensar num disco de estreia?

Jack Armondo: Estamos escrevendo e tocando no momento. Sem muito tempo para pensar num trabalho completo. Nossa filosofia é trilhar o nosso caminho. É bem provável que vamos lançar pequenos trabalhos com mais frequência.

Gretta Rochelle: Sem planos ainda. Apenas queremos cair na estrada.

My Gold Mask

Quem são os músicos que inspiram o trabalho e as músicas de vocês?

Gretta Rochelle: Somos influenciados por várias artes diferentes, não apenas música. Amo cinema indiano e animação. Aprecio culturas diferentes. Respeito muito a sabedoria musical de Klaus Nomi por sua coragem e espectáculos teatrais.

Jack Armondo: Escuto muita música diferente que seria difícil especificar certos artistas. Gosto de vários estilos, como hip hop, rock, dance ou qualquer coisa. Meu estilo de tocar guitarra foi muito influenciado por Joey Santiago e Dick Dale. E recentemente, tenho escutado muita música árabe. Mas é engraçado, tento não pensar em música quando escrevo as nossas canções.

Conhecem alguma coisa de música brasileira?

Gretta Rochelle: Eu amo Bossa Nova.

Jack Armondo: Preciso aprender mais, mas aprecio o trabalho dos Mutantes, CSS e, realmente gosto, de As Mercenárias.

E se surgisse o convite para tocar no Brasil?

Gretta Rochelle: Adoraria! Se tiverem planos de nos levar para aí, vamos amar nos apresentar para vocês!

Jack Armondo: Isso. Se alguém quiser nos chamar para uma viagem ao Brasil, estaremos no primeiro avião.

Mais informações em myspace.com/mygoldmask

O soul renovado de Janelle Monáe em “Tightrope”

quarta-feira, março 31st, 2010

Janelle Monáe

Janelle Monáe, assim como VV Brown, é mais uma das artistas que vieram para modernizar o soul das lendas da Motown. Em seu single “Tightrope”, a garota conta com a ajuda de Big Boi (do OutKast) e acaba parecendo uma versão feminina de Andre 3000 com o swing de James Brown num hospício.


Clipe de “Tightrope”

The ArchAndroid, o álbum de estreia de Monáe, chega às loja no dia 18 de maio.

Shirley Manson fala sobre a carreira na Elle

quarta-feira, março 31st, 2010

Shirley Manson aparece na edição de abril da Elle britânica. Em entrevista para a revista, a cantora falou sobre a volta do Garbage, seu trabalho solo e a atual paixão pelo disco de estreia do Them Crooked Vultures.

Shirley Manson - Elle

Mais fotos, tiradas por Tung Walsh, e trechos da entrevista no celebrity vip lounge.

Um pedaço do universo do Monsters of Folk em “Dear God”

terça-feira, março 30th, 2010

Ano passado, o Monsters of Folk – o super grupo formado por M. Ward (She & Him), Conor Oberst (Bright Eyes), Jim James (My Morning Jacket) e o produtor Mike Mogis – lançou um concurso em seu site, convocando os fãs para criarem o vídeo de “Dear God”.


Clipe de “Dear God”

Um ganhador foi escolhido, mas a banda deu o sinal verde para o diretor Lauri Faggion trabalhar na versão oficial.

De volta ao lar com o MGMT em “Flash Delirium”

terça-feira, março 30th, 2010

Depois de divulgarem o álbum Congratulations na íntegra – quase um mês antes de seu lançamento oficial no whoismgmt.com -, o MGMT trabalha o single “Flash Delirium” com o seu videoclipe.


Clipe de “Flash Delirium”

O que parece uma simples visita a um grupo de velhinhos, torna-se num passeio surrealista com conotações sexuais e um fim explosivo. O trabalho é dirigido por Andreas Nilsson.

A diversão não para com o Two Door Cinema Club em “Something Good Can Work”

segunda-feira, março 29th, 2010

“Something Good Can Work” é o terceiro single tirado de Tourist History, álbum de estreia do Two Door Cinema Club.


Clipe de “Something Good Can Work”

Com seu pop rock alegre, o clipe não poderia ser mais apropriado.

Clipes exibidos no MTV Lab/teco apple #04

domingo, março 28th, 2010

Videoclipes do quarto programa MTV LAB/teco apple exibido no dia 25 de março com reprise no dia 27:

Nine Inch Nails - The Hand that Feeds Nine Inch Nails
“The Hand That Feeds” (vídeo)
(With Teeth)
Direção: Rob Sheridan

Garbage - Run Baby Run Garbage
“Run Baby Run” (vídeo)
(Bleed Like Me)
Direção: Sophie Muller

Placebo - The Bitter End Placebo
“The Bitter End” (vídeo)
(Sleeping With Ghosts)
Direção: Howard Greenhalgh

Melissa Auf Der Maur - Real A Lie Melissa Auf Der Maur
“Real a Lie” (vídeo)
(Auf Der Maur)
Direção: Scott Lyon

Blush - I Wanna Be Real Blush
“I Wanna Be Real” (vídeo | estreia)
(I Wanna Be Real)
Direção: Robson Rogers

The Flaming Lips - The W.A.N.D. The Flaming Lips
“The W.A.N.D.” (vídeo)
(At War with the Mystics)
Direção: Bradley Beesley

Nikka Costa - Stuck to You Depeche Mode
“Wrong” (vídeo)
(Sounds of the Universe)
Direção: Patrick Daughters

Beck regrava disco do INXS e divulga vídeo de “Guns in the Sky”

sexta-feira, março 26th, 2010

Beck está de volta com a quarta edição do que intitula de Record Club. Neste projeto, o músico regrava todas as faixas de um determinado álbum. O disco escolhido da vez é Kick (1987), do INXS.

Beck - Kick It - Record Club

Nesta edição, participam artistas como o Liars, St. Vincent e Sérgio Dias (do Mutantes). O primeiro vídeo publicado em sua conta do vimeo é a gravação de “Guns in the Sky”:

Segundo Beck, as gravações aconteceram no início do mês de março e tomaram cerca de 12 horas. Semanalmente, as faixas serão disponibilizadas no site do artista, na mesma ordem do disco original.

Show: Nelly Furtado em Porto Alegre

sexta-feira, março 26th, 2010

Os primeiros discos de Nelly Furtado (Whoa, Nelly! e Folklore) têm uma identidade própria. A artista, que era mais uma cantora pop na indústria musical, diferenciava-se por suas origens. Já Loose, um parceria com o produtor Timbaland, aposta num pop fácil e apelativo deixando toda a bagagem multicultural da garota perdida no caminho.

Nelly Furtado - Porto Alegre
Nelly Furtado - Porto Alegre

Composições ricas instrumentalmente como “Turn of the Lights”, “Powerless” e um medley do álbum Whoa, Nelly! (com direito a “My Love Grows Deeper Part 1”, “I Will Make U Cry”, “Legend”, “Baby Girl” e “Party”) ganham roupagens extremamente desinteressantes e ordinárias. Por sua vez, “Maneater” se sobresai ao perder a assinatura de Timbaland e se tornar uma peça direcionada ao pop rock.

Nelly Furtado - Porto Alegre

Para conquistar o público brasileiro sem muito esforço, a cantora canadense – fã de Caetano Veloso – acrescentou “Sozinho” em seu repertório. Mais tarde, convidou o vocalista Di Ferrero (do NX Zero) para dividir o palco e repetirem a parceria de “All Good Things (Come to an End)”.

Nelly Furtado - Porto Alegre
Nelly Furtado - Porto Alegre

Ao vivo, o que acontece com Furtado é o mesmo que ocorre em seu álbum Loose: uma artista sem identidade e direcionamento musical. O excesso de carisma com o público, com acenos e sorrisos em todas as músicas, é interpretado como falta de confiança e presença de palco. Uma pena.

Vale ainda destacar:

1º) O atraso de quase uma hora para o show começar.
2º) As inúmeras vezes que o telão no fundo do palco falhou.
3º) A falta de postura da cantora ao começar a rir no meio da canção “Try” e ter que recomeçar a mesma.
4º) As backing vocals que transformam a artista principal numa coadjuvante.

INFORMAÇÕES: Teatro Bourbon Country, Porto Alegre – RS
25/03 – 21h00
Fotos: Letícia Algayer

O Gossip brinca de pop art em “Pop Goes the World”

quinta-feira, março 25th, 2010

Beth Ditto cancelou seus shows no Brasil e deixou muita gente furiosa> Mas, isso não fez com que o Gossip parasse de trabalhar.

Gossip - Pop Goes the World Single
Capa do single de “Pop Goes the World”

A banda começa a divulgar a faixa “Pop Goes the World”, o terceiro single extraído do álbum Music for Men de 2009.


Clipe de “Pop Goes the World”

O vídeo é recheado de um colorido pop que gradualmente desenha sua vocalista e seus companheiros em tela. Nos últimos segundos, o Gossip praticamente vira uma obra pop art. A direção é de Philip Andelman (Jay-Z, Silversun Pickups).