TOP 50 de discos de 2016 – # 41-50

segunda-feira, 19 dezembro de 2016 13:10

#41. Nice As Fuck
(Nice As Fuck)

O supergrupo das meninas Jenny Lewis, Erika Forster (do Au Revoir Simone) e Tennessee Thomas (do The Like) vaga pelo rock (“Runaway”), funk (“Angel” e “Cookie Lips”) e post punk (“Higher”) com contos açucarados de amor e reflexão. As nove composições do disco são engrenadas com modéstia em baixos acelerados, percussão afiada e leveza na voz de Lewis como se estivessem saindo direto de um ensaio entre amigas numa garagem.

Dica de download: “Door” ()



#42. AlunaGeorge
(I Remember)

I Remember é um novo horizonte musical para o AlunaGeorge. Se no disco de estreia Body Music, a eletrônica R&B atmosférica da dupla envolvia o corpo de sensações, desta vez a proposta é mexer-se muito para tirar os encostos e os pés do chão. A combinação de gêneros viaja dos anos 90 (“Heartbreak Horizon”) à atualidade – com moombahton, trap e tropical house (“I’m In Control” e “Mean What I Mean”) – em melodias cativantes e fáceis de receber o grande público

Dica de download: “Not Above Love” ()



#43. James Vincent McMorrow
(We Move)

Em seu terceiro disco de estúdio We Move, James Vincent McMorrow volta com um material distinto dos antecessores e fora da zona de conforto. Dá um salto do folk para o terreno eletrônico R&B, de nomes como James Blake e Bon Iver, na sonoridade minimalista e acolhedora supervisionada pelos produtores Nineteen85 (de “Hotline Bling” de Drake), Two Inch Punch e Frank Dukes (responsável por trabalhos de Rihanna e Kanye West) para mostrar suas serenatas avassaladoras.

Dica de download: “Get Low” ()



#44. M83
(Junk)

O produtor Anthony Gonzalez (a.k.a. M83) sempre deixou explícito o seu fascínio pelos anos 80 em seus trabalhos. Explorar o lado “chinfrim” e teatral da época em fórmulas enlatadas da italo disco chill (“Bibi the Dog”), sintetizadores espaciais, solos de guitarras e saxofones exagerados que parecem servir de trilha sonora de um antigo programa de TV (“Moon Crystal” e “Road Blaster”) é uma revitalização do pastiche com propriedade na companhia de nomes como Beck (“Time Wind”), Steve Vai (“Go!”), MAI LAN e Susanne Sundfør (“For the Kids”).

Dica de download: “Do It, Try It” ()



#45. RY X
(Dawn)

O disco de estreia do compositor e produtor australiano Ry Cuming (a.k.a. RY X) é uma jornada de emoções crescentes (“Sweat”) em que a melancolia do folk acamado do artista encontra companhia em arranjos luxuosos, sintetizadores estáveis e o vocal sereno do músico para travar batalhas amorosas em busca de redenção (“Only”).

Dica de download: “Berlin” ()



#46. LION BABE
(Begin)

A estreia do duo neo soul LION BABE, da cantora Jillian Hervey — filha da modelo e atriz Vanessa Williams — e do produtor Lucas Goodman, combina beats eletrônicos modernos com a sonoridade soul (“Jump Hi” e “Jungle Lady”), funk (“Got Body” e “Wonder Woman”) e disco brilhante (“Where Do We Go”) como um clone de Erykah Badu guinada pelo pop.

Dica de download: “Wonder Woman” ()



#47. Maria Usbeck
(Amparo)

A cantora/compositora equatoriana Maria Usbeck, vocalista da banda new wave Selebrities, abraça sua língua materna e canta em espanhol pela primeira para mapear uma jornada pessoal com inspiração nos contos de seus familiares e viagens pelo mundo. Suas melodias transcendentais e ecléticas, com influências nostálgicas do continente latino, ganham a mão mágica de Caroline Polachek (do Chairlift) na produção.

Dica de download: “Uno De Tus Ojos” ()



#48. Tegan and Sara
(Love You to Death)

As irmãs Tegan and Sara escolhem o caminho pop oitentista, como se Katy Perry entrasse em excursão com o The Human League com a produção antenada e firme (“Stop Desire” e “U-turn”) do mago pop Greg Kurstin, para cantar de forma honesta e sensível o amor de todas as formas (“Boyfriend”).

Dica de download: “Stop Desire” ()



#49. Flume
(Skin)

O produtor australiano Harley Streten (a.k.a. Flume) lança um disco completo de hits musicais na companhia de nomes como Kai (“Never Be Like You”), Vic Mensa (“Lose It”), AlunaGeorge (“Innocence”), Beck (“Tiny Cities”) e Tove Lo (“Say It”) desamarrando-se de gêneros musicais e sem afetar a autenticidade criativa de sua eletrônica vertiginosa.

Dica de download: “Say It” ()



#50. Wet
(Don’t You)

As canções do trio Wet enumeram emoções amorosas – tanto em forma de celebração ou de perda – com sua eletrônica R&B inspiradora de beats atraentes, sintetizadores delicados, pianos sutis, guitarras dedilhadas e o vocal puro de Kelly Zutrau em letras simples, como um diário adolescente, de fácil identificação.

Dica de download: “All The Ways” ()



TOP 50 de discos de 2016 – # 41-50

COMENTÁRIOS