5 discos para ouvir hoje: Lana Del Rey, Whitney, Velvet Negroni e mais

Confira os principais lançamentos da semana para atualizar a sua playlist de discos favoritos. Entre eles estão os novos trabalhos de: Lana Del Rey, Velvet Negroni, !!!, Whitney e The S.L.P..

Lana Del ReyNorman Fucking Rockwell
(Polydor Records)

Lana Del Rey lança o seu sexto disco de estúdio, Norman Fucking Rockwell, com o olhar apurado do produtor Jack Antonoff que acrescenta elementos da surf music, guitarras elétricas e sons de Laurel Canyon aos devaneios românticos (“Fuck It I Love You”) e cinematográficos (“Venice Beach”) imaginamos em filme super 8 pela artista.

Velvet NegroniNEON BROWN
(4AD)

Em sua estreia NEON BROWN, o músico Jeremy Nutzman (a.k.a. Velvet Negroni) – conhecido por trabalhos com Kanye West e Bon Iver – desconstrói gêneros musicais em cada uma das faixas. Sua sonoridade expansiva e polarizada costura a exuberância synthpop (“KURT COBAIN”), com eletrônica experimental, rap (“SCRATCHERS”), dub (“POSTER CHILD”) e indie rock de maneira ordenada em suas letras de desequilíbrio emocional.

!!!Wallop
(Warp Records)

O grupo disco funky punk !!! (Chk Chk Chk) segue com o seu charme e euforia nos sintetizadores brilhantes interligados a guitarras pulsantes, linhas desenhadas de baixo, palmas e um groove house enlouquecedor – no bom sentido –  para estimular (“Off The Grid”) qualquer pista de dança.

WhitneyForever Turned Around
(Secretly Canadian)

Em seu segundo disco de estúdio, o Whitney, do vocalista/baterista Julien Ehrlich e o guitarrista Max Kakacek, refletem relacionamentos amorosos (“Giving Up” / “Used To Be Lonely”), os laços de amizade e distância de pessoas queridas (“Valleys (My Love)”) em sua sonoridade country soul de arranjos influenciados pelo pop americano dos anos 60 e 70 na produção sossegada de Brad Cook e Jonathan Rado.

THE S.L.P.THE S.L.P.
(Sony Music)

THE S.L.P. é o projeto solo do guitarrista Sergio Lorenzo “Serge” Pizzorno do Kasabian. O disco possibilita o artista a esquadrinhar diversos gêneros, do spaghetti Western (“Meanwhile In Genova”) ao pop jazz (“Nobody Else”) ao rock, de maneira elegante e personificada com colaborações de slowtai (“Meanwhile… At The Welcome Break”) e Little Simz (“Favourites”).