Madonna revela sua ousadia musical e política em “Dark Ballet”

A cantora Madonna continua com a promoção do aguardado álbum Madame X. Com faixas divulgadas como “Medellín” com Maluma, “I Rise”“Future” com Quavo e “Crave” com Swae Lee, a cantora aposta em mais uma faixa inédita antes de colocar o material nas lojas no dia 14 de junho pelo Interscope.

A ousada “Dark Ballet”, que ano passado a própria chamou de “Beautiful Game” durante a apresentação do MET Gala, talvez seja a “Bohemian Rhapsody” na carreira de Madonna com produção de Mirwais (de Music e American Life).

A composição é repleta de reviravoltas melódicas e vem acompanhada de uma letra pessoal e política em que a artista mostra-se no comando do seu próprio mundo diante do caos ao seu redor.

“They think we are not aware of their crimes
we know, but we are just not ready to act
the storm isn’t in the air, it’s inside of us”

Começa com um piano sombrio indo ao encontro de um trap pronto para cair no musical clássico da “Dança das Flautas”, do ‘Quebra Nozes’ de Tchaikovsky, numa versão psicodélica.

“God is on my side and I’ll be fine
I am not afraid ’cause I have faith in me”

Em nota, a artista conta que o single é inspirado em Joana D’Arc:

“Ela lutou contra os ingleses e ganhou, ainda assim os franceses não ficaram felizes. Ainda assim, julgaram-a. Disseram que ela era um homem, que ela era lésbica, que ela era uma bruxa, e, no final, eles a queimaram na fogueira, e ela não temeu nada. Eu admiro isso”.

“Dança das Flautas” do ‘Quebra Nozes’ de Tchaikovsky