6 discos para ouvir hoje: Washed Out, Aminé, Tkay Maidza e mais

Confira alguns dos principais lançamentos da semana para atualizar a sua playlist de discos favoritos. Entre eles estão os novos trabalhos de: Washed Out, Aminé, Glass Animals, Tkay Maidza, BRONSON e Victoria Monét.

Washed OutPurple Noon
(Sub Pop)

O Washed Out, projeto do produtor eletrônico Ernest Greene, lança o quarto álbum de estúdio cercado por sons brilhantes e robustos inspirados pelo pop e yatch rock dos anos 80. São números chillwave mais lentos cobertos de sintetizadores etéreos, ritmos dinâmicos e letras com histórias de paixão e perdas testemunhadas pelo artista. Pode-se ouvir o luxo de Sade (“Paralyzed”), o bombardeio sonoro de Phil Collins (“Too Late”) e a atmosfera exuberante dos grandes clássicos do verão (“Time to Walk Away”) em Purple Noon.

AminéLimbo
(Republic Records)

Aminé transparece um equilíbrio em fazer rap melódico cativante com um lirismo introspectivo como poucos. São faixas que desfrutam de preocupações pessoais e morais com um olhar ao passado e à cena hip hop (“Shimmy”), o apoio da família (“Mama”), os fracassos amorosos (“Compensating”), temas raciais (“Becky”) e a concretização de suas fantasias. Entre os colaboradores estão os rappers Vince Staples, slowthai e Young Thug e as estrelas do R&B Summer Walker e Charlie Wilson.

Glass AnimalsDreamland
(Polydor Records)

Dreamland é um álbum de memórias nostálgico e repleto de experiências pessoais. É um passeio autobiográfico pela infância (Space Ghost Coast to Coast”) do líder do grupo, Dave Bayley, e relações disfuncionais (“Your Love (Déjà Vu)”) musicadas pelo pop psicodélico do Glass Animals. As batidas hip hop, os sintetizadores espaciais e as letras exploram as minúcias do que significa ser humano, sem soar calculista ou sem emoção, em busca de uma transformação pessoal (“It’s All Incredibly Loud”).

Tkay MaidzaLast Year Was Weird, Vol. 2
(4AD)

A cantora e rapper australiana Tkay Maidza revela-se uma artista versátil ao derivar por gêneros com facilidade. Last Year Was Weird, Vol. 2 é uma jornada inesperada entre as batidas hip hop com bases pesadas (“Shook”), trap (“Awake” com JPEGMAFIA) e baladas pop fascinantes (na funky “Don’t Call Again” e na soul bossa nova “You Sad”). A diversidade que Maidza experimenta e administra soa como diversos discos dentro de um mesmo trabalho.

BRONSONBRONSON
(Ninja Tune)

O BRONSON é o projeto colaborativo do produtor australiano Golden Features e o duo norte-americano indie eletrônico ODESZA. O álbum autointitulado ziguezagueie entre gêneros, criando faixas divergentes que transmitem uma infinidade de emoções diferentes e sombrias, na companhia de nomes como lau.ra (“HEART ATTACK”), Gallant e Totally Enormous Extinct Dinosaurs (“DAWN”).

Victoria MonétJaguar
(Tribe Records)

A cantora e compositora Victoria Monét era (até então) mais conhecida por suas composições para artistas como Ariana Grande e Fifth Harmony. O disco de estreia evita entregar-se de inteiro ao pop atual e permite-se transparecer uma marca de luxo. São produções R&B, funk (“Jaguar”) e disco (“Experience”) inspiradas pela desenvoltura dos anos 70 para celebrar, lamentar e triunfar uma série de romances fracassados.