9 discos para ouvir hoje: Aluna, Disclosure, Sevdaliza, Kelly Lee Owens e mais

Confira alguns dos principais lançamentos da semana para atualizar a sua playlist de discos favoritos. Entre eles estão os novos trabalhos de: Aluna, Disclosure, Sevdaliza, Kelly Lee Owens, Angel Olsen, PVRIS, Jaden, Dua Lipa e Samia.

AlunaRenaissance
(Mad Decent)

Aluna Francis, a cara metade do AlunaGeorge, toma as rédeas do destino musical e desponta com o primeiro disco solo. Em Renaissance, explora heranças, identidade e sons ao restabelecer parâmetros da música dance pop (“Envious”), house de Chicago (“Body Pump”), reggae (“Surrender”) e outros gêneros com essência natural. O trabalho ganha um impulso extra nas colaborações especiais de Princesa Nokia (“Get Paid”), Jada Kingdom, SG Lewis (“Warrior”), KAYTRANADA (“The Recipe”) e mais.

Disclosure – ENERGY
(Island)

Os irmãos Lawrence (do Disclosure) retornam com o seu álbum mais direto na companhia de um apanhado de artistas inovadores e talentosos – e pela primeira vez, isso inclui rappers. Aparições de Mick Jenkins (“Who Knew?”), Channel Tres, Aminé e slowthai (na hip-house “My High”) dão um novo olhar e dinâmica às produções da dupla. Outros destaques surgem em parcerias com a inigualável Kelis (“Watch Your Step”), a maliana Fatoumata Diawara com uma benção afro eletrônica (“Douha (Mali Mali)”), Blick Bassy num groove elegante (“Ce n’est pas”) e as graciosas Kehlani e Syd acalmando ritmos (“Birthday”).

SevdalizaShabrang
(Butler Records)

A artista irani-holandesa Sevdaliza lança o segundo registro de estúdio, o sucessor do hipnótico ISON, produzido inteiramente por ela em conjunto com o colaborador de longa data Mucky. Shabrang ultrapassa os limites das estruturas sonoras ao criar um estilo plenamente ímpar com elementos de eletrônica, indie, trip hop, R&B e avant pop para numa jornada de autodescoberta (“Lady Lamp”, “Darkest Hour”), amor próprio (“Habibi”) e paz interior (“Joanna”).

Kelly Lee OwensInner Song
(Smalltwon Supersound)

Em Inner Song, Kelly Lee Owens reproduz o que ela chama de “os três anos mais difíceis da minha vida”. A dissolução de um relacionamento destrutivo e a morte de sua avó, de quem ela era incrivelmente próxima, lançam uma sombra sobre a laboração deste segundo disco. Mergulhando em sua própria psique em belas texturas tecnopop, Owens canaliza perdas e mágoas em composições cruas e evocativas (“On”) abraçadas por melodias eufóricas (“Melt!”) e emotivas. Com toques experimentais de R&B e uma participação especial de John Cale do Velvet Underground (“Corner Of My Sky”), ela continua a planejar uma reputação própria em torno de uma mudança corajosa e de descobertas.

Angel OlsenWhole New Mess
(Jagjaguwar)

Whole New Mess é um retrato emocional e confessional de Angel Olsen em que expõe sua luta durante um período de tensão cercado de separações e perdas. O registro traz a artista cantando através de feridas ainda abertas com apenas guitarras e microfone (“Waving, Smiling”, “Whole New Mess”), isolada em uma igreja centenária numa pequena cidade no estado de Washington. O trabalho também conta com versões mais íntimas de algumas composições do álbum All Mirrors.

PVRISUse Me
(Warner Records)

O PVRIS lança o terceiro disco de estúdio inclinando-se totalmente para uma sonoridade eletrônica. O resultado são onze composições arquitetadas pelo pop poderoso (“Dead Weight”) de sintetizadores pulsantes, samples de bateria (“Gimme a Minute”), guitarras arejadas e vocais fascinantes. Nas canções, Lynn Gunn reflete questões pessoais, como lutar contra a depressão e superar a perda de sua voz, para exorcizar os demônios do passado.

JadenCTV3: Cool Tape Vol. 3
(Roc Nation Records)

Com menos de uma hora de duração, o álbum de 17 faixas é a terceira parte da série de mixtape Cool Tape após CTV2 (2014) e The Cool Cafe: Cool Tape Vol. 1 (2012). O projeto conta com colaborações de Justin Bieber (“Falling For You”) e Raury (“Endless Summer”) num conjunto de canções relaxantes e ensolaradas (“Cabin Fever”) que vão do surf pop nostálgico (“LUCY!”) ao rap em sua variabilidade de gêneros.

Dua LipaClub Future Nostalgia
(Warner Music)

Dua Lipa revisita as faixas do álbum Future Nostalgia e compartilha a sua ideia delas minando os clubes dos anos 90. O ofício conceitual para nas mãos de nomes consagrados como Joe Goddard (do Hot Chip), Jayda G, Yaeiji, Mark Ronson e The Bleesed Madonna; além das contribuições vocais de artistas do nível de Gwen Stefani, Madonna e Missy Elliott. Ainda há grandes surpresas no uso de samples como “Buffalo Stance” de Neneh Cherry, “Moments in Love” do Art of Noise, “Stand Back” de Stevie Nicks, entre outros.

SamiaThe Baby
(Grand Jury Music)

Em seu disco de estreia, Samia é a voz de uma geração tentando encontrar seu lugar no mundo. Nas composições evidencia lutas contra questões de imagem corporal (“Fit N Full”), misoginia, desgostos (“Triptych”) e solidão (“Poll”). É o som de uma jovem impiedosa, tecido por uma teia de narrativas irônicas e refrões cativantes, que peregrina pelo alt-pop, rock e country.